Valor máximo deve ficar em R$ 1.088

[ad_1]

O Governo Federal está se preparando para liberar mais uma rodada do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em 2021. A medida foi adotada para mitigar os efeitos da pandemia no ano passado e pode ser usada novamente. A iniciativa em estudo pode ser implementada com outras medidas. O objetivo é injetar dinheiro na economia. 

Segundo membros da equipe econômica de Jair Bolsonaro (sem partido), há margem para que os recursos do FGTS sejam liberados sem comprometer o orçamento do fundo. 

Pagamento do FGTS Emergencial

O saque emergencial liberado em 2020 permitia que o contribuinte retirasse até um salário mínimo das contas do FGTS, ou seja R$ 1.045. O objetivo era injetar R$ 38 bilhões na economia. No entanto, a Caixa Econômica Federal informou que dessa quantia total esperada, cerca de R$ 7,9 bilhões não foram resgatados e, consequentemente, retornaram ao fundo dos trabalhadores. 

Para 2021, ainda não houve uma definição sobre o formato do programa ou valores que podem ser liberados. Caso siga os moldes da última última liberação do saque emergencial, o valor máximo deve ficar em torno de R$ 1.088, estimativa para o salário mínimo em 2021.

Isolamento social

Segundo informações do Ministério da Economia, a decisão da pasta não considera apenas o número de casos do novo coronavírus, e sim a taxa de isolamento social. 

Isso significa que, caso o índice de distanciamento fique perto do patamar observado em dezembro de 2020, a tendência é que sejam acionadas apenas medidas sem efeito fiscal, como antecipações de benefícios e o saque do FGTS. 

Por outro lado, se o isolamento social voltar a um patamar semelhante ao de maio do ano passado – período com índice mais alto – será necessário implementar medidas com custo aos cofres públicos. 

Veja também: PIS/Pasep e 13º salário do INSS podem ser antecipados em 2021 com o fim do auxílio



[ad_2]

Source link